sábado, 18 de agosto de 2018

As inconstitucionalidades e as hipocrisias da Lei Geral Proteção de Dados Pessoais sancionada por Temer

LEI Nº 13.709, DE 14 DE AGOSTO DE 2018


O Presidente Michel Temer, nesta 3ª feira, dia 14 de Agosto, sancionou a Lei Geral da Proteção de Dados Pessoais (LGPDP), cujo texto final, contém 49 vezes o termo autoridade nacional. O Brasil tornou-se, assim, o 128° país a possuir uma Lei de Proteção de Dados Pessoais.

O Art°1 diz que a LGPDP existe “com o objetivo de proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade e o livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural [e no Parágrafo III] a liberdade de expressão, de informação, de comunicação e de opinião”.

Perguntas: 

:: existirá realmente liberdade de expressão, de informação, de comunicação e de opinião no Brasil, tanto nos meios de comunicação virtuais, quanto no mundo físico? Em redes sociais, o que predominará: o Regimento Interno da empresa – a qual se reserva a determinar, ela mesma, quais os conteúdos que devem, ou não, existir em suas plataformas? – ou a LGPDP?

:: As redes sociais deverão ser consideradas empresas privadas – com total direito de possuir um Regimento Interno, logo, com direito a censurar as informações e as ideias que quiser – ou deverão ser consideradas como prestadores de Serviços Públicos não estatais – considerando o poder que possuem sobre a psique humana, logo, sobre a sociedade como um todo?


No Art°1 podemos ainda ler que a LGPDP existe para [Parágrafo IV] “a inviolabilidade da intimidade, da honra e da imagem”. 

Pergunta:

:: como fará o Estado e as empresas para garantir esta inviolabilidade e simultaneamente, instaurar um Sistema de Controle Tecnológico Biométrico Absoluto (SCTBA)? 

O Estado e as empresas, ao exigirem a leitura biométrica dos seus cidadãos sem oferecer qualquer outra possibilidade de identificação, sempre estarão agindo de forma inconstitucional. 

É impossível instaurar um Sistema de Controle Tecnológico Absoluto sem ir contra a Constituição Brasileira, Título II Dos Direitos e Garantias Fundamentais, Capítulo I Dos Direitos e Deveres Individuais e Coletivos, Art. 5º X, que diz: “são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas”.


Quando o Art 4° diz que “Esta Lei não se aplica ao tratamento de dados pessoais: (...) realizado para fins exclusivamente jornalísticos e artísticos; ou acadêmicos, aplicando-se a esta hipótese os arts. 7º e 11 desta Lei; (...) segurança pública; defesa nacional; segurança do Estado; ou atividades de investigação e repressão de infrações penais”, o que eu vejo é uma brecha imensa na garantia de tais inviolabilidades que pode ser aberta em imensas ramificações, mais uma vez, inconstitucionais, sempre respaldadas por imensos parágrafos e alíneas em incontáveis leis, também elas, assim, inconstitucionais.

A LGPDP revela-se ainda mais hipócrita quando, no Art 7° I diz que “O tratamento de dados pessoais somente poderá ser realizado (...) mediante o fornecimento de consentimento pelo titular” e depois nos apresenta, de seguida, dentro do mesmo Artigo – e caso o cidadão queira continuar usufruindo dos diversos serviços oferecidos pela sociedade - quinze parágrafos determinando quando é que o titular deverá fornecer os seus dados pessoais mesmo que não queira. 


Perguntas finais: 

:: Será que as bases que aqui forneci servirão para aquelas pessoas que são realmente contra a instauração da Nova Ordem Mundial de controle tecnológico absoluto, exigirem a contínua utilização dos serviços do Estado e das empresas, sem fornecerem os seus dados biométricos?

:: ou será que, para não alimentar as engrenagens da Nova Ordem Mundial de controle tecnológico absoluto, teremos de ficar gradualmente, à margem da sociedade e sofrer as consequências óbvias que tal escolha implica? 

:: Se a via for a crescente marginalização social, quem tem coragem para escolher esta via?

Muito mais informações sobre este assunto neste blog:

17 de março de 2018

3 de agosto de 2018

30 de julho de 2018

27 de março de 2018

20 de março de 2018

terça-feira, 14 de agosto de 2018

A maior árvore do mundo teria quilômetros de altura! - será verdade?

Devil's Rock, uma antiga árvore gigantesca: a prova são as raízes descobertas por baixo da formação rochosa em pesquisa realizada pelo Wyoming State Parks Department. A árvore teria vários quilômetros de altura.


Esta é a ideia geral de uma matéria criada pelo site Infinity +1News e posteriormente postada em sua página de facebook, Casper Planet. Como raríssimas pessoas se dão ao trabalho de verdadeiramente ler, não se aperceberam que a descrição do site diz "Notícias que são satíricas. Notícias Satíricas". 

Os mais entusiasmados (que são maior parte dos inconsequentes que navegam na internet) começaram logo a compartilhar como se fosse uma notícia verdadeira e a fake news espalhou-se com a voracidade de um incêndio nas matas. 


E aqueles que receberam tais compartilhamentos, continuaram compartilhando até ao dia de hoje. Assim, continua circulando pelo mundo a satírica reportagem que diz que Devil's Rock é o que resta de uma antiga árvore gigante... e raríssimos se dão ao trabalho de pesquisar a origem de tal informação.

A consequência deste tipo de 'inocências' é o fortalecimento dos argumentos que defendem o fim da liberdade de expressão.

Liberdade de expressão cada vez mais restrita em todo o mundo
22 de março de 2018

Supremo Tribunal propõem fim da liberdade de expressão
5 de abril de 2018


Vamos a acordar, meu povo! Parem de acreditar em tudo o que vos aparece à frente e comecem de uma vez por todas a pesquisar as informações que recebem e principalmente as que divulgam. Sei que dá trabalho, mas vale a pena no final do dia. Conscientizem de uma vez por todas o perigo que corre a liberdade de expressão.

Sistema de Controle Tecnológico [quase] Absoluto: Temer deve sancionar lei de proteção de dados

Dando continuidade ao assunto que venho atualizando aqui no blog...


Descodificando a PLG Proteção de Dados Pessoais que foi aprovado no Senado
19 de julho de 2018

... onde interpretamos o real significado do texto publicado no site do Senado em relação à aprovação unânime da PLG Proteção de Dados Pessoais no dia 10 de Julho de 2018, temos agora que...

Temer deve sancionar lei de proteção de dados com vetos
13.ago.2018

Itália perto de desobrigar as vacinas?

O desespero está a tomar conta do sistema de controle: a Itália poderá permitir que os italianos escolham se devem, ou não, vacinar os seus filhos. 


Por que tantos italianos estão contra as vacinas?
13/08/2018

Apesar de, neste artigo da Euronews, Nadia Gatti, Presidente da CONDAV - Centro Nacional da Itália para Pessoas Danificadas por Vacinas, afirmar que...

"Acreditamos que as pessoas devem ter a liberdade de escolher se vacinam seus filhos" 

... mais adiante, contraditoriamente, ela afirma que defende que existam vacinas obrigatórias, ao dizer: 

"Eu estou bem se o estado colocar 4-5 vacinas obrigatórias, mas deixar os outros até a escolha dos pais". Muito estranho este posicionamento de um suposto movimento anti-vacinas."

Que tipo de liberdade de escolha é esta se continuarem existindo vacinas obrigatórias? Uma posição meio confusa por parte da Presidente da CONDAV. O artigo da Euronews continua, fortalecendo certos pontos-de-vista em relação aos movimentos anti-vacinas:

:: Eles têm menos confiança nas instituições
:: Eles são influenciados pela mídia não filtrada
:: Eles ainda são influenciados por um estudo desacreditado
:: Eles acreditam que tudo é para o benefício dos produtos farmacêuticos

Protestos contra as vacinas têm vindo a crescer em todo o mundo:


Milhares de pessoas em Varsóvia protestam contra a vacinação obrigatória
02/06/2018

Protesto em Varsóvia (Polônia). Imagem de vídeo.


Pais chineses protestam contra más vacinas por centenas de milhares
30 de julho de 2018

ADICIONADO POR EDIÇÃO
Audiência pública debate supostas sequelas ocasionadas pela vacina contra o HPV
13.08.2018
https://pagina20.net/v2/audiencia-publica-debate-supostas-sequelas-ocasionadas-pela-vacina-contra-o-hpv/


Porque será que a Euronews não menciona isto:

Glifosato nas vacinas: Provas
13 de agosto de 2018

Monsanto condenada a pagar US$ 289 milhões por danos no julgamento do câncer [causado por] Roundup [herbicida à base de Glifosato]
11 de agosto de 2018

Outras notícias relacionadas com o que se passa na Itália:

Confusão reina na Itália sobre o mandato de vacinação infantil
11 de agosto de 2018

Por que a reviravolta da Itália sobre a vacinação obrigatória choca a comunidade científica?
7 de agosto de 2018

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Glifosato nas vacinas: Provas

Flavia Azevedo, moderadora do grupo de facebook 'O Lado Obscuro das Vacinas', divulgou informações oficiais das pesquisas encomendas pelo 'Samsel Environmental and Public Heath Services' e realizadas pelo 'Microbe Inotech Laboratories, Inc.' sobre a presença Glifosato nas vacinas, as quais foram enviadas para Senadores dos Estados Unidos, para o Congresso e divulgados para o público em geral.

Vídeo da Flavia Azevedo
https://www.facebook.com/flaviauk/videos/10217385636454065/


Monsanto condenada a pagar US$ 289 milhões por danos no julgamento do câncer [causado por] Roundup
11 de agosto de 2018

Microbe Inotech Laboratories, Inc. : Summary Report of Analysis
14 de Março de 2016

Ligação vacina-glifosato exposta por Anthony Samsel
31 de agosto de 2016



Modelo da carta enviada aos Senadores e para o Congresso:




Quando busquei conhecer melhor quais os sintomas que o Glifosato produz no organismo humano, encontrei um documento da Monsanto, no link:

FICHA DE EMERGÊNCIA: Roundup N.A. (Glifosato)

Como não conhecia a credibilidade do link, busquei apenas www.nucleosaudeambiental.com.br e fui imediatamente direcionado para:

ATOM BRASIL - Soluções no Controle de Pragas: Inseticidas - Herbicidas - Rodenticidas - Equipamentos 
http://www.atombrasil.com/


No documento podemos ler o seguinte sobre as reações ao produto:

EPI [Equipamento de Proteção Individual] de uso exclusivo para a equipe de atendimento a emergência: Capacete de boa resistência, macacão impermeável, luvas e botas de PVC, óculos protetores e máscara com filtros.

[Perigos para a] Saúde: 
Ingestão: lesões corrosivas (ulcerativas) das mucosas oral, esofágica, gástrica e, duodenal; disfagia, epigastralgia, náusea/vômitos, cólicas, diarréia. Outros sintomas são hematêmese e melena, hepatite anictérica e pancreatite aguda; hipotensão arterial, choque cardiogênico; hipoxemia, taquipnéia, dispnéia, tosse, broncoespasmo, edema pulmonar não cardiogênico e falência respiratória; pneumonite; oligúria, anúria e hematúria; acidose metabólica, insuficiência renal. As alterações neurológicas, que podem se complicar com convulsões, coma e morte, são atribuídas a hipóxia e/ou hipotensão. 
Pele: dermatite de contato. 
Olhos: irritação, dor, queimação ocular, turvação da visão, conjuntivite e edema palpebral. Inalado: Irritação de vias respiratórias altas, pneumonite química.

Este é um dos venenos com que estão pulverizando a comida do brasileiro. Este é um dos produtos que estão sendo colocados dentro das vacinas.

Os movimentos pró-vacinas insistem que não existem provas do malefício das vacinas.

STF julga família por querer praticar Educação Domiciliar com seus filhos

Em 2013, a família Dias, do Rio Grande do Sul, resolveu pedir à Secretaria de Educação do Município de Canela para educar a sua filha, na altura com 11 anos de idade. A Secretaria orientou os pais a inscreverem a criança na rede regular de ensino do Estado. Os pais resolveram entrar na Justiça para garantir o seu direito de exercer a Educação Domiciliar. Em 2016, o STF resolveu suspender todos os processos que tratassem sobre Educação Domiciliar.



Ministro suspende todos os processos que tratem de ensino domiciliar
09/12/2016

O julgamento foi agora marcado para 30 de Agosto de 2018, como anunciado pela Rede Globo:

Supremo Tribunal Federal vai decidir se crianças podem ser educadas em casa; ação opõe pais e órgãos públicos
12/08/2018



Existem diversas percepções pró e contra a Educação Domiciliar. Surgem as perguntas: 

:: O Estado deve anular completamente a sua participação em qualquer fase da Educação Domiciliar?

:: Se o Estado participar em qualquer parte da prática da Educação Domiciliar, qual a profundidade de tal participação? P.ex.: se o Estado exigir que as crianças façam provas regulares apresentadas pelo próprio Estado - de forma a verificar se as crianças estão sendo, realmente, educadas - não estará o Estado impondo disciplinas e trajetos dentro dos métodos educativos que os pais criam para os seus filhos? 

:: Considerando a realidade brasileira - em que imensas famílias educam os seus filhos de forma irresponsável, projetando-os para o tráfico de drogas, para a exploração sexual, ou para o simples desinteresse e abandono - se o Estado não participar em qualquer fase da Educação Domiciliar, não estará sujeito a surgirem casos bem delicados, se bastar às famílias, simplesmente, declararem que estão praticando a Educação Domiciliar com seus filhos?

:: Etc.

Constitucionalmente, o Estado não esconde a sua avidez de querer controlar todas as áreas da vida dos brasileiros:



Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto
Seção I Da Educação
Art. 205. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.

A afirmação "(...) dever do Estado e da família (...)", jamais coloca o Estado fora educação. Caso contrário leríamos dever do Estado, OU da família. Se o Estado se colocasse fora da prática da educação, como garantiria a formatação mental e psicológica dos cidadãos para servirem aqueles que patrocinam o próprio Estado, as corporações que monopolizam o mercado brasileiro e sugam as riquezas do Brasil?

Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto
Seção I Da Educação
Art. 208. O dever do Estado com a educação será efetivado mediante a garantia de:
I. educação básica obrigatória e gratuita dos 4 (quatro) aos 17 (dezessete) anos
de idade (...)

Educação obrigatória é mais uma postura ditatorial, impondo que os cidadãos entreguem os seus filhos ao Estado para este lhes moldar a mente na forma que mais interesse aos patrocinadores do próprio Estado: as corporações que monopolizam o mercado nacional, sugam as riquezas naturais do Brasil e exploram a mão-de-obra do brasileiro.

É um assunto da Educação Domiciliar é deveras complexo devido à vulnerabilidade das crianças face:

:: às drogas
:: ao tráfico sexual
:: ao abandono
:: à Engenharia social de Programação Mental do Estado em prol do mercado corporativo

A Educação Domiciliar é mais uma linda prática positiva que encontra imensa dificuldade de se expressar devido ao contexto em que busca ser praticada: uma sociedade baseada na competição, na acumulação, na auto-promoção, no narcisismo, na produção e consumo de bens e serviços.

EDITADO: todos os problemas sociais e humanos existem sem a Educação Domiciliar. Associar aqueles a esta é demonizar o que é bom. Defendo a prática da Educação Domiciliar sem qualquer controle do Estado.

Por uma sociedade sem Estado, sem impostos, com  plena liberdade de expressão e livre mercado,

Em 2017, fiz um vídeo mais detalhado sobre este tema:



Sugiro que assistam o belíssimo filme Capitão Fantástico sobre Educação Domiciliar (dublado)

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Porque o Ministério Público Federal pediu ao Facebook a lista de páginas banidas?

A Liberdade de Expressão sendo atacada em diversos níveis: tanto pelo MPF quanto pelo próprio Facebook. Quase que cabe dizer eles merecem-se. O estranho nesta história é a aparente incógnita razão pela qual o MPF pediu ao Facebook a relação das páginas e perfis deletados por esta rede social. Porquê tanto interesse nisso?


Facebook entrega ao MPF lista de 196 páginas banidas por 'fake news' no Brasil
07/08/2018
Em julho, o Facebook anunciou a exclusão de 196 páginas e 87 perfis brasileiros acusados de "gerar divisão e espalhar desinformação". Nesta semana, a empresa entregou ao Ministério Público Federal de Goiás (MPF-GO) uma lista com todos os banidos. O órgão havia enviado ao Facebook uma solicitação para que apresentasse a lista de páginas e perfis banidos, bem como uma explicação para a exclusão de cada um. A empresa não explicou cada exclusão, mas entregou uma declaração generalizada a respeito de todos.

O documento disponível no seguinte link:

A requisição foi feita pelo Procurador da República Ailton Benedito de Souza do 3° Ofício do Núcleo da Tutela Coletiva da Procuradoria da República de Goiais - Ministério Público Federal. Uma breve pesquisa na internet em periódicos de Goiais, rapidamente encontramos, sobre este procurador, notícias com os seguintes títulos:


Com perfil polêmico, Ailton Benedito toma posse como procurador-chefe da PR-GO
05/10/2017
Ailton tem histórico de controvérsias no MPF-GO e nas redes sociais. Para críticos, ele se utiliza do cargo para promover ações enviesadas por seu posicionamento político e ideológico. (...) Para críticos, ele se utiliza do cargo para promover ações enviesadas por seu posicionamento político e ideológico, notadamente da direita conservadora.

Será que, sendo o Procurador da República um Conservador de Direita, esteja procurando defender o seu espectro político - considerando que o Facebook é uma empresa de esquerda que foca parte da sua censura, essencialmente, em movimentos e ideias que se enquadram no espectro político de direita e no liberalismo? Se for esta a razão, o Procurador extrapolou imenso o leque de ação da sua posição como servidor do Estado, agindo em prol de sistemas de crenças pessoais.

O Facebook forneceu ao Procurador (MPF) uma descrição dos "Padrões da Comunidade [das] nossas políticas de autenticidade":

"(...) 196 Páginas e 87 contas no Brasil que violaram nossas políticas de autenticidade. (...) Todas as Páginas e contas foram removidos em 25 de julho de 2018, depois de uma rigorosa investigação que identificou violação direta às nossas políticas de autenticidade. Essas Páginas e contas faziam parte de uma rede coordenada que se ocultava com o uso de contas falsas no Facebook. Elas participaram de ou estavam associadas a contas que criaram, gerenciaram ou perpetuaram:
  • Contas falsas
  • Contas com nomes falsos
  • Contas que participam, ou alegam participar, de comportamentos não autênticos coordenados, ou seja, em que múltiplas contas trabalham em conjunto com a finalidade de:
  1. Enganar as pessoas sobre a origem do conteúdo
  2. Enganar as pessoas sobre o destino dos links externos aos nossos serviços (por exemplo, fornecendo uma URL de exibição incompatível com a URL de destino)
  3. Enganar as pessoas na tentativa de incentivar compartilhamentos, curtidas ou cliques
  4. Enganar as pessoas para ocultar ou permitir a violação de outras políticas de acordo com os Padrões da Comunidade."
O Facebook esclarece ainda:

"Temos atualmente 20 mil pessoas trabalhando em segurança e revisão de conteúdo em todo o mundo. Contamos com as denúncias de nossa comunidade a respeito de conteúdos que possam violar nossas políticas e usamos tecnologia como machine learning e inteligência artificial para detectar comportamento ruim e agir mais rapidamente."


Quando o Facebook explica que os "Padrões da Comunidade estabelecem nossas políticas de autenticidade, ao prever que as pessoas não têm permissão para (...)", surgiram-me diversas observações e questões, as quais destaco em vermelho escuro:

• Representar falsamente sua identidade:

:: Usando um nome que desrespeite nossas políticas de nome
:: Fornecendo uma data de nascimento falsa (nunca forneço minha data de nascimento certa)

• Faça mau uso de nosso produto de perfis:

:: Criando um perfil para um menor de 13 anos
:: Mantendo múltiplas contas (tenho 2 contas)
:: Criando perfis não autênticos (será que o Canal Daniel Simões pode ser considerado um perfil não autêntico?)
:: Compartilhando uma conta com terceiro (casais não podem ter contas conjuntas?)
:: Criando outra conta após ter sido banido do site (e isto não acontece imenso sem qualquer banição?)
:: Esquivando-se das exigências de registro descritas em nossos Termos de Serviço

• Passar-se por outros

:: Usando imagens de terceiros com o objetivo explícito de enganar as pessoas
:: Criando um perfil fingindo ser ou falando por outra pessoa ou entidade
:: Criando uma Página que fala por outra pessoa ou entidade sem autorização, quando a parte autorizada desaprova o conteúdo (pura censura em perfeita harmonia com a PL 1589/2015 da Deputada do PMDB/RJ que "Torna mais rigorosa a punição dos crimes contra a honra cometidos mediantes disponibilização de conteúdo na internet (...)" http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=1279451 )

• Envolver-se em comportamento não autêntico, que inclui criar, gerenciar ou perpetuar

:: Contas falsas
:: Contas com nomes falsos (Canal Daniel Simões poderá ser considerado um nome falso?)
:: Contas que participam, ou alegam participar, de comportamentos não autênticos coordenados, ou seja, em que múltiplas contas trabalham em conjunto com a finalidade de:
  1. Enganar as pessoas sobre a origem do conteúdo
  2. Enganar as pessoas sobre o destino dos links externos aos nossos serviços (por exemplo, fornecendo uma URL de exibição incompatível com a URL de destino)
  3. Enganar as pessoas na tentativa de incentivar compartilhamentos, curtidas ou cliques
  4. Enganar as pessoas para ocultar ou permitir a violação de outras políticas de acordo com os Padrões da Comunidade.

Seca no Brasil e a Exportação de 112 trilhões de litros de 'água virtual' por ano

Complementando tudo o que já vimos em outros artigos deste blog, em diversas regiões o brasileiro sofre com a falta de água, não porque haja falta deste Recurso Natural, mas devido à má vontade política e interesses corporativos que focam os seus esforços e investimentos no lucro. [1] [2] 



Entretanto:

Brasil exporta cerca de 112 trilhões de litros de água doce por ano
11.09.2012
Contêineres saem diariamente de portos na costa brasileira abarrotados de carne bovina, soja, açúcar, café, entre outros produtos agrícolas exportados para o mundo. Mas dentro deles há um insumo invisível, cujo valor ultrapassa cálculos estritamente econômicos. Ao longo do ano, o Brasil envia ao Exterior cerca de 112 trilhões de litros de água doce, segundo dados da Unesco — o equivalente a quase 45 milhões de piscinas olímpicas ou mais de 17 mil lagoas do tamanho da Rodrigo de Freitas. Tantos litros são o total dos recursos hídricos necessários para produzir essas commodities. E colocam o país como o quarto maior exportador de “água virtual”, atrás apenas de Estados Unidos (314 trilhões litros/ano), China (143 trilhões litros/ano) e Índia (125 trilhões litros/ano). (...) As Nações Unidas (ONU) estimam que, até 2025, cerca de dois terços da população mundial estarão carentes de recursos hídricos, sendo que cerca de 1,8 bilhão enfrentarão severa escassez de água. Na metade do século, quando já seremos 9 bilhões de habitantes do mundo, 7 bilhões enfrentarão a falta do recurso em 60 países. A água, portanto, já é motivo de conflitos em várias regiões do mundo.
https://oglobo.globo.com/sociedade/ciencia/brasil-exporta-cerca-de-112-trilhoes-de-litros-de-agua-doce-por-ano-6045674#ixzz5NhcztL2n 

Esta informação é baseada em um estudo desenvolvido pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG):

Pesquisa da UFCG sobre volume de água exportado pelo Brasil em mercadorias agrícolas é destaque internacional
06.09.2017
“A água virtual não é visível, porém, está presente em todos os produtos que consumimos, pois eles precisam dela para serem fabricados. Por exemplo, num quilo de carne estão embutidos cerca de 15 mil litros de água na sua produção; no queijo, 5 mil litros; numa camiseta, 2,5 mil litros; num copo de cerveja 75 litros; num único pão, 40 litros; e assim por diante”, destaca Vicente, lembrando que a carne e o queijo são as mercadorias agrícolas exportadas pelo Brasil que mais contém água virtual. A pesquisa constatou que o País exporta o equivalente a 54,8 bilhões de metros cúbicos por ano em forma de água virtual contida apenas em commodities agrícolas. A Europa é o maior importador de água virtual em mercadorias dessa natureza do Brasil, com exportações brutas de 27,7 bilhões de metros cúbicos por ano, o que corresponde a 41% do valor total da exportação de água pelo País.

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Sionismo, o Complexo do Bode Expiatório e a História dos Impérios

Presentemente, maior parte do planeta é dominado pelo Império Sionista. 

Judeus ortodoxos manifestando-se contra o sionismo

Mas não todo o planeta: ainda podemos considerar um Império Chinês (essencialmente, ao nível comercial, mas também ao nível geográfico), um Império Islâmico (mais restrito ao Médio Oriente, mas ganhando espaço na Europa e nos Estados Unidos) e um Império Russo (limitado geograficamente aos entornos da Rússia, com grandes poderes e influências em todo o mundo, mas já muito dominado por fortunas de judeus-sionistas).

Na Wikipédia, podemos ler a seguinte descrição:

“O sionismo é um movimento político que defende o direito à autodeterminação do povo judeu e à existência de um Estado nacional judaico independente e soberano no território onde historicamente existiu o antigo Reino de Israel.”

Mas nem todo o sionista é judeu e nem todo o judeu é sionista.

O povo judeu é usado, de vez em quando, como carne-para-canhão para promover o vitimismo que justifica o crescente poder do Estado de Israel e do sionismo global.

O povo do Estado de Israel – que nem judeu é porque é descendente dos judeus asquenazes - como qualquer outro povo, é alvo dos Programas de Controle Mental e da Engenharia Social dos seus governantes-sionistas e como qualquer outro povo, defende como boa e justa a história do seu país. Logo, maior parte do povo judeu é sionista.

Muitos culpam os judeus de todos os males que existem, hoje, no mundo. É o que em psicologia se chama de Complexo do Bode Expiatório – termo muito estudado pelo francês René Girard (historiador, crítico literário, antropólogo, filósofo, teólogo, sociólogo e filólogo) e tão bem explicado por Sylvia Brinton Perera como estando “associado ao mecanismo de negação da sombra, já que o bode expiatório recebe a projeção da sombra e se identifica com características que o outro não aceita em si mesmo, por não estar em acordo com o ego ideal.”

Judeus sionistas e não-judeus sionistas estão, sim, à frente do imperialismo atual, mas pensar que são eles a fonte de todo o mal do mundo é evidência de falta de memória histórica.

Pode ser que a Dança dos Impérios mostre que o mundo vive há imenso tempo uma crise espiritual e que a ganância imperialista é algo que tem origem no coração de qualquer povo do mundo.