sábado, 23 de março de 2019

ISLÂMICOS AFRICANOS ESCRAVAGISTAS | Responsáveis pelo maior mercado de escravos mundial


Aos poucos, algumas pessoas e meios de comunicação social mais corajosos, estão fazendo a verdade vir à tona.


Os islâmicos africanos são os responsáveis pela maior quantidade de pessoas escravizadas em toda a história. Surge, então, a pergunta: porque os afro-descendentes norte-americanos, brasileiros e europeus não reclamam tal dívida histórica? 

Porque os afro-descendentes de todo o mundo apenas a reclamam tal dívida histórica em cima dos povos europeus e norte-americanos? 

Compreenda-se que maior parte dos escravos europeus foram comprados no JÁ EXISTENTE mercado de escravos africano, dominado pelos islâmicos. 

Isto auxilia-nos a ver o quanto as massas hoje são manipuladas a pensar restritamente aquilo que as elites desejam que elas pensem. Grande parte desta manipulação mental é resultado do financiamento de Fundações internacionais em ONGs, institutos e associações – como tão bem tenho vindo a demonstrar no artigo em permanente atualização GEORGE SOROS NO BRASIL 

domingo, 10 de março de 2019

DEMÔNIOS SOLTOS NO BRASIL | Destruição da Natureza e Sangria das riquezas naturais para o estrangeiro

Precisamos chamar os métodos corporativos pelos devidos nomes: demoníacos,  anti-naturais, a própria morte ceifando o Brasil. Este caso é apenas um entre muitos no país e vamos aqui focar, principalmente, nos recursos hídricos: a água é, simplesmente, o elemento mais precioso, não só para a Vida, mas para as indústrias. Ao assistir este vídeo feito por um anônimo em Paracatú, Minas Gerais, sinto crescer cada vez mais em mim, a mesma indignação que ele sente e a compreensão que precisamos juntar as nossas vozes e não mais ficar calados. A mudança tem de acontecer e todos temos a responsabilidade de participar nela. 




"Será que as autoridades não vêem isto?" - pergunta a dada altura o autor do vídeo. As próprias autoridades assinam as permissões para a empresa fazer o que faz, como veremos de seguida nos documentos apresentados. "O Prefeito está do lado da empresa", afirma ainda: veremos, também, que o próprio Governo do Estado - e não apenas a Prefeitura - assina as mesmas permissões.




Visão de satélite do impacto ambiental da mineradora canadense Kinross, em Paracatú, Minas Gerais.

Kinross Gold Corporation é uma empresa do Canadá, mas apresenta-se no Brasil como Kinross Brasil Mineração S/A, operando na mina Morro do Ouro, em Paracatu, noroeste de Minas Gerais, desde 1987, "sendo atualmente considerado por meio de ações concretizadas como o empreendimento mais importante da região." No site da Kinross lemos que a empresa "responde por cerca de 22% dos postos de trabalho formais do município. São cerca de 1.800 empregos diretos e quase 3 mil terceirizados (...) [sendo a] principal geradora de impostos e grande fomentadora de outros negócios (...)": isto faz com que maior parte da população da região (ainda) defenda a empresa. 

O Licenciamento Ambiental - Revalidação de Licença de Operação PARECER ÚNICO Nº1329041/2013 (SIAM) fornecido por
Governo do Estado de Minas Gerais
Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável
Subsecretaria de Gestão e Regularização Ambiental Integrada 
Superintendência Regional de Regularização Ambiental Noroeste de Minas
nos seguintes parágrafos
2. Caracterização do Empreendimento
2.1. Mina
2.1.2. Água subterrânea na área de cava

permite:

aprofundar [a escavação] abaixo do nível [do lençol] freático (...) [reduzindo] o escoamento de base do Córrego Rico e Córrego Macacos (...) [interceptando] águas subterrâneas [as águas mais fundas - o que explica a dimensão dos tubos visto no vídeo e as palavras do autor do vídeo "eles já mataram o Santa Rita"] [explicando a empresa que] como medida compensatória, a empresa mantem a vazão residual do Córrego Rico por meio de um canal de desvio, já outorgado pelo IGAM (portaria 602/2012). 




3. Utilização e Intervenção em Recursos Hídricos

A empresa possui as seguintes portarias de outorgas vinculadas a este processo [que lhe permitem fazer uso dos seguintes recursos hídricos]: 





3.1 Recursos Hídricos subterrâneos
A intervenção em recursos hídricos subterrâneos ocorre em três captações conforme descrição abaixo:
Poço 01 – Portaria 554/2012: trata-se de renovação da portaria 274/2001 para poço tubular com vazão de 1,2 m3/h e tempo de bombeamento de 17 horas/dia. Destina-se ao consumo industrial.
Poço 02 – Portaria 565/2010: trata-se de poço tubular com vazão de 12 m3/h e tempo de bombeamento de 17:30 horas/dia. Destina-se ao consumo industrial.
Poço 03 – Portaria 273/2001: poço tubular tamponado conforme NT DvRC 01/2006, devidoao avanço de lavra. Processo cancelado.

OBSERVAÇÃO: no vídeo constatamos que  já existem muitos mais poços do que os mencionados aqui. Lembrando que estamos aqui lendo estratos de um documento de 2013.

3.1.1.1 Monitoramento
O plano de expansão e desenvolvimento da mina a céu aberto abaixo do nível de água subterrâneo irá resultar na diminuição das águas subterrâneas dentro e fora da área da cava.

4. Autorização para Intervenção Ambiental (AIA)
Não foi solicitado autorização para intervenção ambiental.

6.6. Alteração da flora e da fauna
Dentre os vários impactos oriundos da supressão de vegetação, têm-se a alteração da flora e fauna. Como forma de mitigar tais impactos, são adotadas as seguintes medidas: (...) procedimento de resgate de flora e de fauna, reabilitação de áreas degradadas e produção de mudas em viveiro da empresa.

PERGUNTA: como é possível recuperar toda a área afetada identificada na imagem de satélite acima?

Não continuaremos a análise do documento em questão: chegamos na página 13 de 58. Continuar seria tornar este estudo exaustivo demais para maior parte dos leitores. Infelizmente, poucos passarão além do título e destes, poucos chegarão até aqui.



Desiluda-se quem pensa que a água é do povo. Segundo a Constituição Brasileira
Título III Da Organização do Estado
Capítulo III Dos Estados Federados
Art. 26. Incluem-se entre os bens dos Estados: I. as águas superficiais ou subterrâneas, fluentes, emergentes e em depósito (...).

E segundo a Lei n°9433 Política Nacional de Recursos Hídricos
Título III Das Infrações e Penalidades 
Art°49: 
Constitui infração das normas de utilização de recursos hídricos superficiais ou subterrâneos:

I - derivar ou utilizar recursos hídricos para qualquer finalidade, sem a respectiva outorga de direito de uso;

II - iniciar a implantação ou implantar empreendimento relacionado com a derivação ou a utilização de recursos hídricos, superficiais ou subterrâneos, que implique alterações no regime, quantidade ou qualidade dos mesmos, sem autorização dos órgãos ou entidades competentes;

III -  (VETADO)

IV - utilizar-se dos recursos hídricos ou executar obras ou serviços relacionados com os mesmos em desacordo com as condições estabelecidas na outorga;

V - perfurar poços para extração de água subterrânea ou operá-los sem a devida autorização;

VI - fraudar as medições dos volumes de água utilizados ou declarar valores diferentes dos medidos;

VII - infringir normas estabelecidas no regulamento desta Lei e nos regulamentos administrativos, compreendendo instruções e procedimentos fixados pelos órgãos ou entidades competentes;

VIII - obstar ou dificultar a ação fiscalizadora das autoridades competentes no exercício de suas funções.


Mineradoras como a Kinross, com todo o impacto ambiental e com todo o impacto na saúde das pessoas, apenas alimentam o consumo do povo: as linguagens de marketing associadas aos programas de controle mental, fazem a população querer comprar aquilo que lhes é oferecido, sem pensar nas consequências do estilo de vida que lhes está sendo incutido. P.ex.:

Existem no Brasil 65.800.000 = 65,8 milhões de automóveis [▶] (incluindo camiões e veículos motorizados, mas sem incluir máquinas industriais, aviões, helicópteros, etc., construídos no Brasil). Considerando todo o metal usado na construção de todos estes veículos, quanto corresponde isto em termos de impacto ambiental? Mas será que as pessoas estão preparadas para abdicar desse estilo de vida?



Existem poucos inocentes em todos estes processos: as corporações destroem florestas e montanhas para construir as cidades e todos os produtos e serviços que os seus habitantes, todos nós, todos os dias, consumimos. 

Se as corporações destroem florestas e montanhas é porque alguns de nós continuam trabalhando nas indústrias que produzem os produtos e os serviços que destroem a Mãe Natureza. 

Se as corporações destroem florestas e montanhas é porque alguns de nós continuam defendendo os políticos financiados por estas mesmas empresas - os quais, fiéis aos seus patrocinadores e jamais ao povo, assinam as permissões para as corporações continuarem destruindo a Mãe Natureza.

Se as corporações destroem florestas e montanhas é porque alguns de nós continuam trabalhando nas forças policiais e militares que defendem as corporações e os políticos quando a população busca mudanças e justiça por todas atrocidades sofridas.


No final, as cidades defecam seus dejetos (químicos, plásticos, metais, etc.) nos rios e nos mares, envenenando estes.

É, verdadeiramente, um processo demoníaco da morte.

E de nada adiantam os argumentos que são as indústrias que geram emprego e que se não fossem elas, muito mais miséria existiria: o processo mortal e demoníaco criado por tais empresas e pelo consumo dos seus produtos e serviços acontece e precisa deixar de acontecer: as consequências já estão acontecendo e só tendem a ficar cada vez mais graves.

A solução passa por uma mudança de paradigma no pensamento e nas escolhas de cada indivíduo. 

Artigos sobre a água neste blog:


As contradições mediáticas sobre a venda do Aquífero Guarani [▶]
17 de março de 2018

Privatização da água brasileira [▶]
17 de março de 2018

Nova crise da água em São Paulo? Só porque querem, claro... [▶]
2 de agosto de 2018

Seca no Brasil e a exploração da água por Empresas internacionais [▶]
8 de agosto de 2018

Seca no Brasil e a Exportação de 112 trilhões de litros de 'água virtual' por ano [▶]
10 de agosto de 2018

Senado faz consulta pública: alocar, ou NÃO, os Recursos Hídricos do Brasil? Vote já!! [▶]
31 de agosto de 2018

Nestlé e a água nos Estados Unidos: exemplo do que acontece no Brasil... e ninguém fala sobre isso! [▶]
20 de setembro de 2018

ÁGUA NO BRASIL | S.A.G.A. tem água para 250 anos para todo o planeta [▶]
26 de dezembro de 2018




terça-feira, 5 de março de 2019

O VICE-PRESIDENTE GENERAL MOURÃO APOIA GEORGE SOROS?



Considerando a inteligência demonstrada até aqui pelo Vice-Presidente, General Mourão, duvido que ele desconheça as ligações diretas entre Ilona Szabó e George Soros através do Instituto Igarapé quando afirma em entrevista para a Revista Valor, que o Brasil perde com o recuo do Ministro da Justiça, Sérgio Moro, em relação à nomeação daquela para o Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP).


Sabemos ainda que o General Floriano Peixoto, Ministro da Secretaria da Presidência, foi colaborador do Instituto Igarapé em 2016. Que tipo de ligação existiu entre o General, o Instituto, o dinheiro da Open Society Foundation e os ideais de George Soros? É estranho que a instituição tenha retirado do ar o link com referência ao seu nome, mas como nada desaparece da internet, ainda consegui recuperar parte da aparência desse mesmo link...


Entretanto, o Presidente do Fórum de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima,
pediu exoneração do CNPCP em apoio a Ilona. Será que este apoio se deve ao temor de que se torne amplamente público que também o Fórum de Segurança Pública é financiado pela Open Society Foundations de George Soros, tal como podemos constatar na Lista de Instituições apoiadas por George Soros no Brasil que temos vindo a atualizar neste blog? 

Movimentos e posicionamentos que erguem diversas questões, incluindo estas: quantos representantes de George Soros estão dentro do atual Governo? E quantos representantes de Soros estiveram dentro dos Governos anteriores?




sexta-feira, 1 de março de 2019

ILONA SZABÓ É AFASTADA | Mas George Soros ainda está dentro do Governo brasileiro

Em nota oficial, o Ministério da Justiça recua na nomeação de Ilona Szabó para a Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP). Mas George Soros ainda tem pelo menos um representante dentro do Governo: o General Floriano Peixoto Vieira Neto


Entretanto, o Presidente do Fórum de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima,
pede exoneração do CNPCP em apoio a Ilona. Será que este apoio se deve ao temor de que se torne amplamente público que também o Fórum de Segurança Pública é financiado pela Open Society Foundations de George Soros, como podemos constatar na Lista de Instituições apoiadas por George Soros no Brasil que temos vindo a atualizar neste blog? Confesso que eu nem sabia que ele já ocupava um cargo dentro do CNPCP, mas parece que George Soros está sendo expulso do Governo do Brasil. Existirão mais representantes do bilionário dentro do atual Governo?

Renato Sérgio de Lima

O General Floriano Peixoto, Ministro da Secretaria da Presidência, foi colaborador do Instituto Igarapé em 2016. Que tipo de ligação existiu entre o General, o Instituto, o dinheiro da Open Society Foundation e os ideais de George Soros? É estranho que a instituição tenha retirado do ar o link com referência ao seu nome...


... mas como nada desaparece da internet, ainda consegui recuperar parte da aparência desse mesmo link...


Surge imediatamente a questão: se George Soros financia, essencialmente, movimentos e ideais de esquerda, porque está conseguindo entrar com tanta facilidade dentro do atual Governo brasileiro?