sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

FIM DA PROFISSÃO DE COBRADOR | E mais acabarão em breve

E sabem porque é possível acabar com a profissão de cobrador? 
Porque o povo está indo em rebanho fornecer as suas biometrias [1] para o sistema.

Terminal de Messejana [bairro de Fortaleza, Ceará] é fechado por sindicato contra o fim da função de cobrador [2]
27 de Dezembro de 2018

Foto: Diário do Nordeste

Se o Estado brasileiro - orientado pela internacional Agenda 2030 [3] e pelo programa de controle tecnológico biométrico absoluto iD2020 [4] - não tivesse implantado uma cultura de submissão tecnológica no Brasil e recolhido tantas identidades biométricas, não seria possível implantar o sistema identificação biométrica em ônibus e fazer com que tantas pessoas ficassem desempregadas. 

Sistema de reconhecimento facial é instalado em ônibus de Fortaleza para controlar o uso do Bilhete Único [5]
31/07/13

Bilhete Único – Fortaleza será pioneira em biometria facial [6]
22/04/13

O medo de praticar a Desobediência Civil Pacífica, junto com a ignorância sobre como o sistema de controle realmente funciona e sobre quais os reais objetivos da Agenda Internacional, começam a cobrar um preço alto e concreto no seio da população, tocando diretamente a vida de cada vez mais pessoas.

Alguns querem justificar o fim de algumas profissões e o aumento da taxa de desemprego em prol das tecnologias, como consequências típicas das mudança de paradigma profissional e mercadológico - como aconteceu na revolução industrial - dizendo que novos postos de trabalho surgirão.

O problema é que neste novo paradigma tecnológico, a mão de obra humana está sendo substituída por máquinas, enquanto que, nas mudanças de paradigma profissional e mercadológicas anteriores, as novas profissões que surgiam eram realizadas por pessoas.

Lembrando ainda que nos círculos internos do Forum Econômico Mundial e em outras instâncias, a realidade prevista é de existirem +2 bilhões de desempregados até 2030 [7] devido ao impacto das tecnologias  - isto, face aos +200 milhões hoje contabilizados. Ou seja, 10 vezes mais desempregados em 10 anos. 

DESISTAM DE SEREM ESTADOS SOBERANOS | Convite de Angel Merkel, Chanceler alemã



O convite que a Chanceler alemã, Angel Merkel, fez às nações do mundo - "Os Estados-Nações deveriam estar dispostos a ceder hoje a sua Soberania [Nacional] [1]" em prol de um Parlamento Global, ou Governo Global - no dia 21 de Novembro de 2018, no evento Parlamentarismo na Tensão da Globalização e Soberania Nacional, na Academia da Fundação Konrad Adenauer, em Berlim, Alemanha, talvez fosse uma boa ideia se a humanidade vivesse uma Consciência de União entre as pessoas, mas, perante o espírito da competitividade, corrupção e violência que assola o planeta - muitas vezes criadas pelas políticas da própria Chanceler - este convite, ou é imaturo e imponderado, ou está temperado de sérias intenções obscuras.

Por outro lado, os líderes de todo o mundo não mais têm necessidade de serem discretos, ou secretos, em relação à real intenção da Governança Global: são secretos, isso sim, em relação aos verdadeiros moldes de tal globalização.

Uma parte cada vez maior da humanidade já não é mais inocente frente a estas figuras mediáticas de poder: sabemos muito bem que aqueles que, verdadeiramente, dominam o mundo não aparecem na TV e também sabemos que as suas intenções atuais é a de criar um Governo Global [2] [3] de Controle Tecnológico Absoluto [4] 

Se a partir de 2009 assistimos à permissão das entidades e figuras públicas e privadas usarem termos como 'Nova Ordem Mundial', Governo Global' e afins, a partir de 2018 passamos a assistir à aceleração da instauração da Nova Ordem Mundial: a avalanche de acontecimentos impossível de acompanhar em toda a sua magnitude é o reflexo da aceleração da imparável instauração do Governo Mundial de Controle Tecnológico Absoluto.

Angel Merkel, a dada altura do seu discurso, confessa: "A Alemanha cedeu parte dos seus direitos soberanos à União Europeia". Quando sabemos que um dos passos para chegar ao Governo Mundial é criação de blocos político e econômicos, entendemos perfeitamente o contexto de tal afirmação.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

DITADURA NO BRASIL? | Exército posiciona-se contra o povo

Exército combatendo as fake news (notícias falsas)? [1]


Duas perguntas surgem imediatamente: 

1. Quem definirá o que é fake news (notícias falsas)?
Sabemos que existem mentiras circulando na internet sobre os mais variados assuntos, mas quem definirá a fronteira entre mentira e opinião? P.ex.: a visão que trago sobre a instauração de um Governo Global de controle tecnológico absoluto talvez, oficialmente, não seja o ponto-de-vista das instituições estatais... mas isso fará do meu ponto-de-vista uma fake news?

2. O papel do exército brasileiro enquadra-se em atividades relacionadas com a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa? 

No ESTATUTO DOS MILITARES, TÍTULO I Generalidades, CAPÍTULO I Disposições Preliminares, Art. 2º [2] lemos: As Forças Armadas, essenciais à execução da política de segurança nacional, são constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, e destinam-se a defender a Pátria e a garantir os poderes constituídos, a lei e a ordem. Repito, assim, a pergunta: o papel do exército brasileiro enquadra-se em atividades relacionadas com a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa?

A meu ver, a questão fica ainda mais séria quando, no mesmo artigo do site do Exército brasileiro, lemos que o combate às fake news é associado a técnicas de combate militar:

"A campanha objetiva estimular o pensamento crítico e a avaliação das informações que consumimos da internet, seja por meio de aplicativos de troca de mensagens ou das redes sociais. Os produtos que integram a #COMBATAFAKENEWS foram pensados de forma a utilizar elementos gráficos e textuais que remetam à linguagem militar e a situações de combate, sempre associando fake news com “desinformação”.


Esta ação do Exército está diretamente relacionada com a busca de Tipificação do Terrorismo e com alguns eventos ocorridos no Brasil - sobre os quais fiz alguns artigos aqui no blog e um vídeo (este, no final deste artigo):

BRASIL | A opressão do Estado sendo legalizada | Ditadura intensifica-se [3]

(...) o Brasil está incluindo o termo terrorismo em Propostas de Lei (PL), quando ainda não existe um acordo nacional e internacional sobre tudo o que pode ser definido como terrorismo. (...) a inclusão de um termo tão subjetivo em PLs e Leis, faz surgir a possibilidade das autoridades definirem como terrorismo tudo o que for visto como uma ameaça ao seu poder cada vez mais absolutista. O Projeto de Lei N° 5.065/2016 [4] "Tipifica atos de terrorismo por motivação ideológica, política, social e criminal." O Requerimento 8972/2018 [5] exige "urgência para apreciação do PL nº 5065/2016, que tipifica atos de terrorismo por motivação ideológica, política, social e criminal". O perigo para a liberdade de expressão, para a liberdade de crença, para a liberdade de pensamento, para a liberdade de ir e vir e para diversos outros tipos de liberdades, direitos e deveres, revela-se quando descobrimos que ainda não se chegou a um acordo nacional, ou internacional, sobre a definição de terrorismo. Ou seja, não existe uma lista nacional, ou internacional do tipo de ações que possam ser consideradas como terrorismo. Assim, focando o caso do Brasil, qualquer tipo de ação pode ser posteriormente inserida na lista de ações classificadas como terrorismo, proposta na PL nº 5065/2016.



Nesse mesmo artigo, divulguei: 

Brasil e EUA lançam foro permanente para segurança pública [6]

22.05.2018

Segundo comunicado conjunto distribuído no fim da tarde de hoje, ele [o Forum Permanente de Segurança Brasil-EUA] "tem por objetivo criar condições favoráveis para a articulação interagências e o desenvolvimento de estratégias operacionais em torno de seis áreas temáticas pré-definidas: narcotráfico, tráfico de armas, delitos cibernéticos, lavagem de dinheiro e crimes financeiros, terrorismo".





A subjetividade do termo fake news sendo tratado dentro do mesmo rol do subjetivo termo terrorismo, obviamente, abre portas para excessos por parte dos poderes do Estado. A posição do Exército brasileiro no combate às fake news revela-nos que a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa estão seriamente em risco no Brasil. No entanto, esta é uma tendência mundial e não apenas ao nível nacional.

Lembrando ainda que a organização das indústrias brasileiras está tendo um papel fundamental neste processo de controle tecnológico e de controle sobre a liberdade de expressão, sempre usando a segurança como justificação para a implementação de sistemas de controle cada vez mais profundos na vida coletiva e individual:

Defesa: Brasil terá centro contra ataques cibernéticos [7]
29 de Novembro de 2018
(...) a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, em sua missão a Israel, com o objetivo buscar know how e tecnologia de ponta, acaba de anunciar um investimento de R$ 10 milhões. O presidente da ABDI, Guto Ferreira afirmou que: "Convidaremos o Comando de Defesa Cibernética do Exército Brasileiro para nos orientar nas ações e outros órgãos como a ABIN, também. O que vimos em Israel nos leva a um sentimento de urgência maior e atuaremos para apoiar o governo neste avanço".

A notícia anterior foi diretamente justificada pela seguinte:

Banco da Fiesp com 180 milhões de registros exposto na intenet [8]
29 de Novembro de 2018
A Fiesp, principal entidade industrial do país, esteve com um dos seus grandes bancos de dados exposto na Internet. (...) O Brasil sempre foi um daqueles países onde as questões de segurança cibernética são difíceis de informar.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

ÁGUA NO BRASIL | S.A.G.A. tem água para 250 anos para todo o planeta

Foto: IstoÉ

Perante a notícia de que o Presidente eleito, Bolsonaro, enviará em Janeiro, a Israel, o futuro Ministro da Ciência e Tecnologia com o objetivo de, entre outras coisas, negociar parcerias para a dessalinização da água [1] [2] [3], continuo me perguntando porque nenhum político brasileiro fala do Sistema Aquífero Grande Amazônia - S.A.G.A., o qual, até onde se estimou, possui água suficiente para sustentar todo o P L A N E T A durante 250 anos.

Ou seja, apesar da solução estar bem debaixo dos seus pés, apesar de haver no território brasileiro, muito, mas muito mais água do que o necessário para acabar com a crise hídrica no Brasil, os investimentos focam-se em uma solução que, além de ser menos eficaz, ainda implica - mais uma vez - depender de poderes internacionais. 

Tal decisão será reflexo de muita incompetência e falta de inteligência, ou será reflexo da subjugação a um poder internacional que suprime a soberania nacional?

Parcerias internacionais podem ser positivas: o grande problema brasileiro é que, perante o cenário internacional de competição mercadológica, com a riqueza dos recursos naturais que possui, o Brasil é que deveria estar oferecendo soluções para o mundo, sendo um exemplo de inteligência sustentável e de determinação soberana nacional. 

Anteriormente, mostrei em artigos bastante detalhados, a hipocrisia política e corporativa nacional e internacional ao redor da água brasileira: tudo leva a crer que os Governos brasileiros nada mais são do que Governos-marionetes, apenas existindo para subjugar as riquezas naturais do Brasil às corporações e Governos internacionais.

As contradições mediáticas sobre a venda do Aquífero Guarani [4]
17 de março de 2018

Privatização da água brasileira [5]
17 de março de 2018

Nova crise da água em São Paulo? Só porque querem, claro! [6]
2 de agosto de 2018

Seca no Brasil e a exploração da água por Empresas internacionais [7]
8 de agosto de 2018

Seca no Brasil e a Exportação de 112 trilhões de litros de 'água virtual' por ano [8]
10 de agosto de 2018

Senado faz consulta pública: alocar, ou NÃO, os Recursos Hídricos do Brasil? Vote já!! [9]
31 de agosto de 2018

Nestlé e a água nos Estados Unidos: exemplo do que acontece no Brasil... e ninguém fala sobre isso! [10]
20 de setembro de 2018

O Governo do PT jamais apresentou qualquer projeto, ou intensão, de captar água do S.A.G.A. e acabar com a crise da água no Brasil. De forma idêntica, durante os 14 anos em que o PT esteve no poder, a oposição jamais apresentou qualquer projeto, ou intenção, no mesmo sentido. 

Como previsto, perante o anúncio da visita do Ministro da Ciência e Tecnologia a Israel surgem as polarizações opinitivas e ideológicas[11], ou por desconhecimento da existência da S.A.G.A., ou como alimento intencional da guerra ideológica que divide e estupidifica a população brasileira.



sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

CANAL DANIEL SIMÕES | Re-ativado


O Canal Daniel Simões está voltando à ativa no Youtube:

O Blog também continua ativo:

Não tenho como fazer este trabalho sem plena dedicação... e não tenho como investir plena dedicação sem o apoio daqueles que acreditam no meu trabalho... E eu quero realmente continuar a fazer este trabalho! 

Se deseja contribuir com o seu Patrocínio para que toda esta obra continue sendo produzida e distribuída (sempre de forma gratuita), entre em contato comigo e pergunte-me como.

E-MAIL  |  poesiasocial@gmail.com

TELEGRAM  |  @CanalDanielSimoes

WHATSAPP  |  85.9.8597.1230

Inscreva-se no Canal, Patrocine e ajude-me a divulgar amplamente informações tão preciosas em tempos tão obscuros.