quinta-feira, 22 de março de 2018

Liberdade de expressão cada vez mais restrita em todo o mundo

"De todo o conteúdo no facebook, mais de 99% do que as pessoas veem é autêntico. Só uma quantia muito pequena são notícias falsas e fraudes."
Mark Zuckerberg 13.11.2016

Os esforços dos maiores meios de comunicação social do mundo em combater 1% de fake news é incompreensível... ou não serão apenas as fake news que estão sendo perseguidas?


No Brasil, a PL 1589/2015 da Deputada do PMDB/RJ "Torna mais rigorosa a punição dos crimes contra a honra cometidos mediantes disponibilização de conteúdo na internet (...)". 

Senadores aprovam na reforma política emenda que permite censura prévia na internet
04.10.2017

Internacionalmente, a Google também se esforça por combater as supostas 1% de informações:

Google News Initiative anunciou combater notícias falsas e apoiar o jornalismo
20.03.2018

"O Google está anunciando novos esforços hoje para apoiar a indústria de mídia, combatendo a desinformação e reforçando o jornalismo, que viverá sob um guarda-chuva recém-anunciado chamado de Google News Initiative. O Google já oferece algo semelhante na Europa por meio da Digital News Initiative, mas a Iniciativa do Google Notícias pretende ser uma expansão mundial mais ampla desses tipos de esforços."

Construindo um futuro mais forte para o jornalismo

Fundo de inovação de notícias digitais


Aliás, eles estão com muito medo da liberdade de expressão que as redes sociais, como o facebook, oferecem às pessoas. Espaços onde as pessoas podem livremente conversar e trocar informações umas com as outras, são bastante inconvenientes para o sistema de controle. 

O YouTube lança silenciosamente o novo esquema "CENSORSHIP", criado para "limitar" o acesso a vídeos
O site de vídeos do Google está tomando medidas para reduzir o público-alvo de conteúdo considerado "impróprio ou ofensivo", mas não é ilegal.
01.11.2017

YouTube irá adicionar links da Wikipedia desmentindo vídeos da teoria da conspiração
13.03.2018
:: O YouTube começará a adicionar links para a Wikipédia e outros sites em vídeos que promovem teorias da conspiração.
:: A decisão veio depois que o site foi criticado por recomendar conteúdo de divisão e vídeos de conspiração.

Como o Youtube fará isso em relação aos vídeos do Canal Daniel Simões, quando os links que divulgamos são todos de fontes consideradas oficiais e credíveis pelo sistema de controle?

O Google-Youtube não define o que entende por Teoria da Conspiração, mas eu defino: 

O termo Teoria da Conspiração foi criado e é usado pelos próprios conspiradores para desacreditar aqueles que sabem a verdade e procuram divulgá-la publicamente.

Como a pesquisa do YouTube leva as pessoas para [por eles consideradas] teorias da conspiração e  para [por eles considerados] conteúdos extremos
:: As respostas de preenchimento automático do Google e do YouTube são muito diferentes.
:: O preenchimento automático do YouTube continua a levar as pessoas a teorias de conspiração e conteúdo extremo.
12.03.2018

O mais absurdo é que os maiores meios de comunicação social oficiais e os Governos de alguns países estão considerando notícias falsas alguns assuntos que estão disponibilizados publicamente nos sites de diversas organizações internacionais.

Exemplo disso, é a Geoengenharia:

Desenvolvendo uma Estrutura de Trabalho Internacional para a Geoengenharia
10.03.2010

U.N. pediu para congelar projetos de geoengenharia climática
21.08.2010

Ou a instauração de uma Nova Ordem Mundial (como vimos em outras matérias deste blog):

A Nova Ordem (Financeira) Mundial
18.01.2008

Discurso do Presidente Obama na ONU: Defendendo a Ordem Mundial
24.09.2014

A preocupação do sistema de controle é que as pessoas em geral estejam conversando umas com as outras e trocando informações sobre o que descobrem.

As empresas que criam e controlam os canais virtuais de comunicação não se importam com os seus usuários: como qualquer empresa fria em seus sentimentos, foca o lucro. A integração da Apple na China está sendo um excelente exemplo disso:


A Apple se move para armazenar as chaves do iCloud na China, aumentando os temores de direitos humanos
24.02.2018

"Quando a Apple começar a hospedar contas iCloud de usuários chineses em um novo centro de dados chinês no final deste mês para atender às novas leis, as autoridades chinesas terão acesso muito mais fácil a mensagens de texto, e-mail e outros dados armazenados na nuvem. Isso é devido a uma mudança na maneira como a empresa lida com as chaves criptográficas necessárias para desbloquear uma conta do iCloud. Até agora, essas chaves sempre foram armazenadas nos Estados Unidos, o que significa que qualquer autoridade governamental ou de aplicação da lei que busque acesso a uma conta chinesa do iCloud precisava passar pelo sistema jurídico dos EUA. Agora, de acordo com a Apple, pela primeira vez a empresa irá armazenar as chaves para contas chinesas do iCloud na própria China. Isso significa que as autoridades chinesas não terão mais que usar os tribunais dos EUA para buscar informações sobre os usuários do iCloud e podem usar seu próprio sistema legal para pedir à Apple que entregue os dados do iCloud aos usuários chineses, disseram especialistas legais."

O leque de possibilidades sobre o que o Governo chinês poderá fazer com o acesso a tais informações é imenso. Podemos ter um pequeno deslumbre com as seguintes notícias:

China proíbe cidadãos com classificação ruim de 'crédito social' de pegar vôos, ou usar trens por até um ano
O plano do presidente Xi Jinping, baseado no princípio "uma vez indigno de confiança, sempre restrito", entrou em vigor em 1º de maio
17.03.2018

"A China disse que começará a aplicar o chamado sistema de crédito social a vôos e trens e impedir que as pessoas que cometeram erros cometam esse tipo de transporte por até um ano. As pessoas que seriam colocadas nas listas restritas incluíam aqueles que tinham cometido atos como espalhar informações falsas sobre terrorismo e causar problemas nos vôos, bem como aqueles que usavam passagens vencidas ou fumavam nos trens (...). Aqueles que tenham cometido transgressões financeiras, como empregadores que não pagaram seguro social ou pessoas que não pagaram multas, também enfrentariam essas restrições (...)."

Mas o monitoramento daquilo que o indivíduo expressa pode chegar muito mais longe, podendo mesmo chegar a casos de coação, intimidação, violência, sequestro e assassinato: sabemos que o Estado de qualquer país faz qualquer coisa para se manter no poder e no controle. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário