quinta-feira, 13 de setembro de 2018

STF proíbe Educação Domiciliar e revela sua doentia necessidade de controlar toda a sociedade

O Supremo Tribunal Federal revelou, mais uma vez, a sua necessidade doentia de controle, ao proibir que as famílias eduquem os seus filhos como quiserem, negando o Recurso Extraordinário (RE) 888815. 


Sabemos que existem imensos detalhes que devem ser considerados quando o assunto são crianças e jovens e também sabemos que existem famílias que não têm maturidade suficiente para educar de forma segura e eficaz (e quem determina o que é uma educação eficaz?) os seus filhos, mas é um extremismo digno de um Estado de Controle, proibir que as famílias pratiquem a Educação Domiciliar. Perante um sistema que se revela cada vez mais opressor e controlador, dizer que "não há legislação que regulamente preceitos e regras aplicáveis a essa modalidade de ensino" apenas demonstra a necessidade doentia que o Estado tem de controlar todas as áreas da vida das pessoas.

STF nega recurso que pedia reconhecimento de direito a ensino domiciliar [1]
12/09/2018
Para a maioria dos ministros, não há lei que ampare o direito de educar crianças e adolescentes em casa. Prevaleceu no julgamento a divergência aberta pelo ministro Alexandre de Moraes.


O jogo de palavras usado pelos Ministros do STF é predatório. Não precisamos examinar as palavras de todos os Ministros para entender todo o cenário:

Ministro Alexandre de Moraes: "(...) a Constituição Federal (...) prevê a solidariedade do Estado e da família no dever de cuidar da educação das crianças. (...) a família e o Estado juntos para alcançar uma educação cada vez melhor para as novas gerações. Só Estados totalitários, segundo o ministro Alexandre, afastam a família da educação de seus filhos."

Solidariedade, ou imposição da presença e controle do Estado na vida das famílias? A família e o Estado juntos, ou a família completamente dominada e oprimida pelo Estado em todas as áreas da vida?

"(...) é a obrigatoriedade [das famílias] de seguir as regras. (...) para [a Educação Domiciliar] ser colocada em prática, deve seguir preceitos e regras". 

E se as famílias não concordarem com as regras que o Estado impõem na educação dos seus filhos e não as quiserem seguir? Porque, sejamos sinceros, os sistemas e as metodologias educacionais que o Estado impõem nas crianças e jovens não está dando certo e o reflexo são os altos índices de violência, a quantidade de jovens depressivos, a quantidade de suicídios entre a juventude, a quantidade de dependentes de drogas, a quantidade de adultos frustrados, a quantidade de corrupção, etc.

"a [Educação Domiciliar] (...) utilitarista, que permite fiscalização e acompanhamento, é a única que não é vedada pela Constituição."

Tudo é permitido na sociedade desde que seja controlado pelo Estado. Traduzindo os termos preceitos, regras, fiscalização e acompanhamento: o Estado quer determinar de forma absoluta como a mente das pessoas deve funcionar, que tipo de conhecimentos e informações elas devem acessar, quais as fronteiras da realidade devem ser apercebidas, que memória histórica deve ser contada, que visões de futuro devem ser sonhadas, que estilos de vida devem ser vividos, etc.

O Ministro conclui que "falta regulamentação para a aplicação do ensino domiciliar"

Devemos começar a pensar, seriamente, na possibilidade das famílias educarem em paz os seus filhos,  de todos vivermos em paz sem ser perseguidos pelo Estado. Devemos todos começar a pensar seriamente no Fim do Estado. O Sistema de Controle é tão intenso que a possibilidade de vivermos sem Estado nem sequer passa pelo pensamento de maior parte das pessoas. E quando esta ideia lhes surge à frente, maior parte recebe um confronto tão grande com as programações de controle mental a que está subjugada, que a primeira reação é excluir tal possibilidade. Esta é uma das razões que faz o Estado ter medo da Educação Domiciliar.

Este assunto neste Blog:

Educação Domiciliar volta a estar em pauta no STF hoje, 06 de Setembro [3]
06 de Setembro de 2018

STF julga família por querer praticar Educação Domiciliar com seus filhos [4]
13 de agosto de 2018

STF adia julgamento da Educação Domiciliar [5]
31 de agosto de 2018

STF julga hoje a Educação Domiciliar [6]
30 de agosto de 2018

Estado ataca Famílias, Educação domiciliar e Não-vacinação: análise das metodologias físicas e psicológicas do ataque e imposição do socialismo [7]

27 de agosto de 2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário